Como escolher cores de tinta para as paredes da sua casa

28 de agosto de 2018

Dias atrás, um casal de amigos me procurou com uma série de dúvidas sobre cores de tinta para paredes. Por onde começar a escolher? Qual a melhor forma de usar? O que está na moda? Durante a conversa, percebi o quanto essas questões podem ser comuns a todos nós na hora de uma reforma. Por isso, vou  compartilhar dicas preciosas com vocês:

Se sua proposta é pintar um ambiente residencial, o primeiro passo que você vai precisar responder:

O que você quer desse ambiente? Qual a sua inspiração (renovar, limpar, etc)?

Qual a emoção e o sentimento que ele remeterá a você? Quem vai frequentá-lo?

Na prática: se sua ideia é fazer da varanda um ponto de conexão com a natureza, tons terrosos podem ser a melhor escolha. Por outro lado, caso queira trazer mais personalidade ao ambientes, cores vivas e fortes são as mais indicadas.

Aliás, já que vai ter o trabalho de pintar, que tal pensar “fora da caixa”?

Grande parte das pessoas tendem a apostar no básico branco ou bege, para mostrar limpeza e expandir o ambiente; e trabalhar cores primárias (azul, vermelho e amarelo)  para dar certa vida ao local. O mercado oferece uma infinidade de tons, por isso, minha dica é, ouse!

Outro aspecto importante a considerar é o papel da tinta na percepção das pessoas: paredes mais claras dão a ilusão de ótica de ambientes mais amplos, enquanto as mais escuras “diminuem” o espaço.

Mas isso não  impede de brincar, em locais menores, por exemplo, com cores como laranja claro ou salmão, em dois tons ou somente no teto, por exemplo. Não é porque é um ambiente pequeno que seja proibido colocar cor!

E a luz se fez!

A iluminação interfere diretamente no resultado das cores no seu ambiente. Que tal fazer uma reflexão sobre as estações do ano?

Nossa percepção é que os tons do inverno mudam na primavera, que, por sua vez, se transformam no verão. Essa coloração, é causada principalmente pela incidência de luz. Quando aplicamos essa lógica em ambientes iluminados artificialmente, consideramos dois tipos de luminescência: fria (branca) e quente (amarela).

O primeiro caso é normalmente aplicado em locais mais técnicos, como cozinhas, banheiros e corredores. Já nos espaços que pedem aconchego e bem-estar, a luz quente é a melhor opção.

Não tenha medo!

Está com medo de inovar? Pinte o lavabo! Um passo pequeno, mas arrojado.

cores de tinta para paredes

Parte externa da casa

Invista nas acrílicas, que têm alta resistência contra efeitos da natureza como raios solares, chuva, além de terem ação antimofo e a possibilidade de serem laváveis. A tecnologia da composição dessas tintas garantem excelente durabilidade e cobertura, mesmo quando as cores abaixo são de tons muito diferentes da que você pintará.

Essa característica otimiza o tempo, já que aquela demão de branco fica desnecessária, pois a tinta nova terá cobertura mais uniforme, mesmo que precise de mais de duas ou três camadas.

Gostou dessas dicas? Deixe nos comentários suas impressões e conte um pouquinho de sua experiência!

Se você se interessa por informações mais práticas, como as deste artigo, sugiro então que conheça os  cinco erros mais comuns em obras e podcast que gravei sobre  pisos e revestimentos

Siga-me também no  Facebook, Instagram, LinkedIn, YouTube e Pinterest!

Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

instagram logo
@milideiaspormetroquadrado/
logo instagram
CLIQUE AQUI