Arquitetos Erika Mello e Renato Andrade explicam quando vale a pena reformar um imóvel

18 de fevereiro de 2021

Especialistas no assunto, os profissionais separaram cinco reflexões que vão ajudar a decidir sobre o a reforma do seu imóvel.

Arquitetos

Erika e Renato do escritório de arquitetura Andrade & Mello.

 

Ter uma casa que possibilite novas experiências e que transmita a sua personalidade, cultura e essência, logo de primeira mão, não é uma tarefa fácil.  Muitas vezes, encontramos um local pronto para morar, mas ainda sem os elementos que transformarão este espaço em um lar. Uma alternativa para essa questão é, sem dúvida, a reforma! Afinal, quem não quer ter um cantinho bem arrumado e com um visual bacana e organizado?

 

Mas quando vale a pena investir na reforma? Será que o processo contribuirá para a valorização do imóvel no futuro? Para Renato Andrade, arquiteto e sócio do escritório Andrade & Mello Arquitetura, essas são perguntas fundamentais que precisam ser estudadas a fundo antes da tomada de decisão.

Confira as dicas! 

 

1- Por quanto tempo quero viver neste imóvel?

 Ambos reiteram que a primeira – e talvez a principal – pergunta a ser feita antes de mergulhar na reforma é: ‘quanto tempo viverei nesse local?’. Se o plano for consolidar uma história de muitos e muitos anos, possivelmente o investimento valerá a pena! Porém, desejar um imóvel com uma localização melhor ou tamanho maior pode equivaler ao custo de uma reforma muito bem planejada na residência atual. Assim, as duas opções devem ser analisadas e ponderadas.  

 

2 – E qual será o meu retorno?

 

Segundo o profissional Renato Andrade, o retorno venal pode variar bastante por conta de vários fatores. Afinal, o gosto do possível comprador e a demanda pelo o que foi reformado é algo relevante e que contribui para essa resposta.

 Por isso, é importante pensar em possibilidades de tornar reversível algumas das alterações praticadas durante a reforma. Com isto, caso o futuro comprador não goste das intervenções promovidas na casa ou no apartamento, poderá desfazê-las sem muitos custos ou sem ter que encabeçar uma grande obra.

 

 3 – A reforma agrega valor ao meu imóvel?

No geral, imóveis reformados apresentam maior poder de venda. Entretanto, os arquitetos advertem que personalizações excessivas podem afastar um potencial comprador.

Para Erika Mello, gosto não se discute e por isso é necessário pensar em alternativas para todos os clientes. Para quem aprecia acabamentos marcantes, por exemplo, um caminho é partir para o uso do papel de parede ou a pintura, que podem ser facilmente modificadas pelo novo proprietário.

 

4 – Como planejar?

 

 É fundamental executar um planejamento antes de iniciar a obra. Avaliar a capacidade de comprometimento da renda é tão indispensável quanto orçar materiais e mão de obra. Compras por impulso, nem pensar! Estudar as formas de pagamento também podem trazer benefícios e economia para sua reforma. 

 

5 – Preciso de um profissional?

Muitas vezes, temos uma ideia, mas na prática, pode não ser exequível. Por isto, é fundamental considerar a consultoria de um profissional, preferencialmente um arquiteto, que dirá se o que foi pensado pode ter um bom resultado ou, até mesmo, propor melhores opções.

 

andrade mello

 

@ondeafamiliaacontece

 

Leia também:

Reformar e mudar a casa sem grandes intervenções de obras é possível sim

Especialistas listam dicas para não terminar o casamento durante a reforma do imóvel

7 dicas para você reformar seu apartamento

 

 

Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

instagram logo
@milideiaspormetroquadrado/
logo instagram
CLIQUE AQUI